Notícia

Tartaruga Petra, encontrada coberta de óleo em Ilhéus, é devolvida ao mar

Símbolo de sobrevivência do vazamento de óleo, a tartaruga oliva carinhosamente denominada Petra, foi devolvida ao seu habitat natural no último domingo, 15 de dezembro, em Maraú. Encontrada em outubro coberta de óleo pelo Grupo de Amigos da Praia (@gap_ilheus), na Praia da Avenida, em Ilhéus, ela recebeu cuidados ao longo de 45 dias até estar totalmente reabilitada para voltar para casa.

O sucesso do resgate de Petra e da limpeza das praias de municípios da Costa do Cacau foi possível boa parte devido às doações de civis. Convidado pelo GAP para a força-tarefa, o Instituto Nossa Ilhéus (@nossailheus) disponibilizou sua conta para receber as doações em dinheiro e auxiliou nas campanhas para conseguir as adesões.

Assim, foram recebidos R$ 17.018,69, cuja planilha de prestação de contas está disponível aqui.

Petra foi encontrada com 100% de contaminação por óleo incluindo cavidade ocular, oral e cloacal, caracterizando ingestão. Os primeiros socorros foram realizados no Hospital Veterinário da Universidade Estadual de Santa Cruz(UESC), seguindo depois para a iniciativa de ciência cidadã, Centro Temporário de Reabilitação de Fauna Oleada – Coração de Tartaruga (@coracaodetartaruga), em Maraú. O processo de descontaminação externa e interna foi realizado cuidadosamente, a fim de reverter a grave situação em que Petra foi encontrada. Acompanhada por 45 dias, ela se recuperou totalmente. Confira também no site do INI o relatório técnico de pré-soltura da tartaruga.

Acesse o relatório de pré-soltura da Tartaruga Petra.

No momento mais crítico da chegada do óleo nas praias, uma rede de apoio formada por membros de organizações, cientistas e civis doaram dinheiro, tempo e trabalho para limpar o óleo e salvar animais. Das doações recebidas, cerca de R$ 16 mil foram utilizados para compra de equipamentos de proteção individual, como macacões, luvas, espátulas, rodos, botas, máscaras e a assistência a Petra. Outras organizações fortaleceram a força-tarefa, como o Instituto Marola, Grupo de Proteção da Fauna Oleada – Bahia Sul,  Ibama, Defesa Civil, Marinha do Brasil, Corpo de Bombeiros Militar da Bahia, Amurc e a Avatim.

Acompanhe as redes do Instituto Nossa Ilhéus: Facebook.com/InstitutoNossaIlheus e Instagram @nossailheus, e colabore para que o trabalho em prol do monitoramento social e da democracia participativa continue.

Leave a Reply