Notícia

Grupo de Trabalho de Requalificação do Aterro Sanitário do Itariri

O Instituto Nossa Ilhéus integra o GT – Grupo de Trabalho de Requalificação do Aterro Sanitário do Itariri. No contexto da situação do Aterro do Itariri, situado no município de Ilhéus, prevê-se a remoção e reassentamento de famílias em virtude de implantação/operação do aterro, imprescindíveis para gestão eficiente do Aterro e a elevação do nível de vida dos catadores com a gestão da Cooperativa de Catadores COOLIMPA.

Neste sentido, torna-se imperativo a remoção dos catadores do Aterro Sanitário de forma planejada a fim de minimizarmos seus impactos negativos com a presença de catadores. Entende-se por Reassentamento a remoção de famílias de suas moradias, para outro local, objetivando a melhoria das condições de vida da população que se encontra em situação de risco.

Os catadores que ocupam o Aterro Sanitário do Itariri são provenientes do antigo lixão do Cururupe situado na estrada Ilhéus-Olivença, zona rural, a 6 Km da sede do município de Ilhéus,onde aproximadamente 100 pessoas viviam  da catação de resíduos descartados naquela área, sendo que, cerca de 90% desses catadores moravam nas proximidades, em uma localidade denominada de Couto. A partir da mudança do Aterro para o Itariri, aos poucos os catadores migraram para o Aterro de Ilhéus com a intenção de continuar com sua fonte de renda. Esta situação decorreu pelo fato da Prefeitura não promover uma solução para os catadores de materiais recicláveis do antigo lixão.

Atualmente no Aterro do Itariri, a área é ocupada de forma irregular, com famílias na sua maioria do antigo lixão de Cururupe, que se instalaram em barracos construídos de forma precária, com material tipo papelão, madeirite, taipa entre outros, convivendo com esgotos a céu aberto, água e energia elétrica clandestinas, (os famosos gatos), além de fome, doenças, insegurança, drogas, violência urbana, e um cenário de total abandono, fragilizados emocionalmente, desprovidos do sentimento de pertencimento.

A partir de julho de 2008, o eixo social do Projeto de Requalificação do Aterro Sanitário, teve a proposta de inclusão social dos catadores, iniciando com o cadastramento das famílias, que consistiu no diagnóstico socioeconômico com proposições de alternativas sustentáveis para o trabalho que os catadores realizam como fonte de renda. Uns dos fatores significativos foram às estratégias de sensibilização e mobilização social dos catadores, através de reuniões, visitas e atividades diversificadas com a finalidade de fortalecer o processo organizativo para o trabalho coletivo/associativista na catação dos recicláveis. Em setembro de 2010, com apoio do poder publico e da sociedade civil organizada os catadores do Aterro do Itariri criaram e registraram a Cooperativa de catadores de recicláveis de Ilhéus COOLIMPA.

Algumas das conquistas foram alcançadas pelo Grupo de Trabalho (GT) em 2011, fruto de um trabalho anterior de um grupo valioso de pessoas compromissadas com a questão dos catadores, e que ganhou novos parceiros e atores.

Ilhéus será o primeiro município brasileiro a retirar os catadores de recicláveis do Lixão de forma totalmente JUSTA e SUSTENTÁVEL.

Veja aqui a Cronologia Das Intervenções em Resíduos Sólidos no Município De Ilhéus – 1996 A 2012

Deixe um comentário