Notícia

Logística reversa em Ilhéus – saiba como descartar corretamente os resíduos que você produz

De acordo com o estudo lançado em um relatório da ABRELPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), cada pessoa gerou 378kg de resíduos em 2017, uma média de 1,03 kg/pessoa. O relatório também revela que o volume de lixo depositado em lixões seria o suficiente para encher 160 estádios de futebol do tamanho do Maracanã!

Refletindo sobre o lixo, nota-se que no início dos tempos os resíduos produzidos pelo homem nômade eram matéria orgânica, que se decompunha na natureza. Com o surgimento das civilizações, a humanidade passou a produzir artefatos para serem utilizados no dia-a-dia, feitos de outros tipos de materiais. Um marco porém, acelera este estilo de vida – o advento da Revolução Industrial – que diversifica e acelera o consumo. Assim, a fabricação de produtos em larga escala trouxe a tona uma problemática na geração exacerbada, no acúmulo e no descarte dos resíduos sólidos.

O que chamamos de lixo, na verdade, são resíduos sólidos que provém do que é descartado durante as atividades humanas diárias, portanto, considerado sem utilidade. Suas origens são diversas, sendo as principais: lixo domiciliar, industrial e hospitalar. Assim, podendo ser classificado como: orgânico (restos de alimentos, papéis, sementes), inorgânico (sacos plásticos, vidros, isopor), tóxico (pilhas, dispositivos eletrônicos, baterias, tintas) e altamente tóxico (nuclear, hospitalar).

E o lixo em Ilhéus?

 Em Ilhéus, a coleta do lixo é realizada normalmente em dias específicos, em cada comunidade. O destino desses resíduos em sua maioria é o tão conhecido lixão, localizado na localidade de Itariri, onde ocorre o descarte de maneira inadequada, sem medidas de proteção ao meio ambiente e a saúde pública.

Também é comum encontrarmos nas ruas da cidade inúmeros resíduos sólidos em vias públicas, nas praias, praças, terrenos e outros. Esse descarte irregular e inconsciente afeta diretamente na vida dos moradores de forma negativa, com a proliferação de inúmeras doenças, poluição do solo, da fauna e da flora.

     No entanto, o que pode ser considerado sem utilidade para uma pessoa, pode ser reaproveitado. 

Muitas pessoas, bem como, empresas e instituições, atentam para a importância do destino daquilo que produzem e optam pela coleta seletiva, ou seja, separam os resíduos com base na sua composição, facilitando para o processo de reciclagem.

Em 2016, foi sancionada a Lei nº 3.804, e a Política Municipal de Resíduos Sólidos na cidade de Ilhéus foi instituída, dispondo sobre os princípios, objetivos e instrumentos para alcançar o correto gerenciamento de resíduos. Há instrumentos que a PMRS prevê como o incentivo a coleta seletiva e a reciclagem, práticas de educação sanitária e ambiental, incentivos fiscais e a logística reversa.

A lei propõe a redução dos resíduos gerados, de modo a incentivar de certa forma o exercício dos 3R’S da sustentabilidade (Reduzir, Reutilizar e Reciclar). Também, destaca-se a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos e a logística reversa. 

A PMRS define a logística reversa como um “instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada.”

Assim, é obrigatório por lei que as empresas, comerciantes, fabricantes, importadores, distribuidores, cidadãos e titulares de serviços de limpeza e manejo dos resíduos sólidos urbanos se responsabilizem pelos produtos desde a origem até o seu destino final.

A implantação da logística reversa é uma grande aliada da Economia Circular, já que ao retornar o resíduo para o ciclo produtivo o material deixa de ser resíduo e se torna matéria-prima para novos produtos.

Alguns produtos necessitam de um sistema de logística reversa independente do serviço de limpeza público, ou seja, é de total responsabilidade da empresa recolher novamente os produtos que sejam perigosos para a população e o meio ambiente. Saiba onde entregar o resíduo sólido para que seja realizada a destinação correta:

·         Vidro, alumínio, papel, plástico, materiais recicláveis – Cooperativa de Catadores Consciência Limpa de Ilhéus (COOLIMPA) – Deizemeire 73 98886-1558 / 99162-8882.

·         Pilhas – Atacadão

·         Baterias de eletrônicos- Atacadão

·         Baterias de celular: Vivo (Rua Rodolfo Vieira, 52, centro, Ilhéus)/ Atacadão)

·         Óleo – Embasa – Rua Guanabara, 129, Tapera

·         Produtos eletroeletrônicos e seus componentes: Vivo – Loja Ilhéus e/ou Ecolog Ambiental (Contato: 3633-4324, 98129-4176, 98877-5213 – ecologambiental@hotmail.com)

·         Embalagens dos produtos de beleza – Lojas O Boticário

Outros produtos também precisam ser recolhidos em pontos de coleta, como pneus, óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens, agrotóxicos, seus resíduos e embalagens, assim como outros produtos cuja embalagem, após o uso constitua resíduo perigoso.  Você conhece algum outro ponto de coleta em Ilhéus para destinação de resíduos deste tipo? Nos informe pelo Facebook.com/InstitutoNossaIlheus, Instagram @nossailheus, contato@nossailheus.org.br.

  • Pesquisa e texto – Bruna Sílvia, voluntária de comunicação do Instituto Nossa Ilhéus.

Supervisão – Tacila Mendes, gerente de comunicação do Instituto Nossa Ilhéus.

Leave a Reply