Notícia

Audiência Pública do grupo Pontal Criativo com o Prefeito Jabes Ribeiro

Na tarde de hoje, dia 12/01/2014, integrantes do Movimento Pontalense de Cidadania, juntamente com representantes de diversas instituições como AMOP (Associação dos Moradores do Pontal), Associação dos Diabéticos, Associação dos Moradores do Bairro Hernani Sá, Instituto Nossa Ilhéus e artesãos, estiveram reunidos em audiência pública com o prefeito Jabes Ribeiro para tratar de diversos assuntos referentes ao Bairro do Pontal.

O prefeito Jabes Ribeiro abordou diversas questões, como a construção da nova ponte Ilhéus Pontal. Em relação a mesma, o prefeito informou que apesar da obra já possuir o licenciamento ambiental, a questão está condicionada pelo SPU (Secretaria do Patrimônio da União), sendo necessário que se apresente a  autorização do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), sendo que a mesma só será concedida após levantamento arqueológico na Baía do Pontal. Foi informado também que a solicitação de reformulação do acesso à nova ponte será atendida, diminuindo assim o número de imóveis a serem desapropriados.

Aproveitando o momento, o prefeito informou que a questão dos resíduos sólidos de saúde e sua destinação final adequada será resolvida com o início da operação da nova empresa de coleta, já que no contrato consta também o serviço de coleta e destinação final dos resíduos sólidos de saúde da rede municipal. Falou ainda do saneamento básico da zona sul e dos transtornos que serão causados durante as obras da nova ponte.

Em relação a Feira Criativa do Pontal, ficou acertado que na próxima sexta-feira o movimento pontalense poderá formar uma comissão, para que na semana seguinte tratem com o Diretor Executivo da CAR (Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional), Vivaldo Mendonça, a respeito das possibilidades de apoio daquela instituição as iniciativas do PONTAL CRIATIVO.

O Movimento Pontalense de cidadania tratou ainda da destinação que poderá ser dada ao imóvel que foi o Clube Social do Pontal e poderá ser, mediante uma parceria público-privada visando a instalação de um projeto de um CENTRO CULTURAL cujo espaço seja destinado à convivência e práticas comunitárias criativas, centro de artesanato, museu da memória do bairro do Pontal, esportes, cultura e lazer ou outro modelo a ser pensado já que pode haver recurso público envolvido. Essa questão será inicialmente analisada pela PROGER (Procuradoria Geral) do município e após o resultado da real situação do imóvel os moradores, com arquitetos da prefeitura possam sentar e pensar no que será possível fazer.

 

 

Deixe um comentário