Notícia

7º Encontro Anual da Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis

 

7º Encontro Anual da Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis

Municípios brasileiros debatem sustentabilidade durante encontro em Ilhabela

Representantes de 30 municípios, de 16 estados brasileiros, se reuniram de 28 a 30 de novembro em Ilhabela para participar da sétima edição do Encontro Anual da Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis e conta com a presença de cerca de 80 líderes e empreendedores sociais comprometidos com o desenvolvimento sustentável de seus municípios e do nosso país.

O primeiro dia do encontro, que teve início às 9h e se estendeu até as 19:30h, foi aberto pelo presidente do Instituto Ilhabela Sustentável, Georges Henry Grego, que agradeceu a presença de todos e manifestou o orgulho e a satisfação da entidade por Ilhabela ser escolhida como sede do evento.

Em seguida, Oded Grajew, Coordenador Geral da Rede Nossa São Paulo e do Programa Cidades Sustentáveis, deu as boas vindas aos participantes, agradeceu o Instituto Ilhabela Sustentável pela recepção e lembrou os presentes da motivação dos trabalhos desenvolvidos pelos membros da rede, que é a construção de um país melhor, ressaltando que o trabalho de cada movimento, ao atuar em sua cidade, contribui para o desenvolvimento justo e sustentável do Brasil.

Para inspirar os trabalhos, o jornalista André Palhano fez uma palestra sobre  “Os políticos e as ações de sustentabilidade: sinceridade de propósitos ou instrumento de poder?”,  abordando a necessidades de ampliar a visão que os governos e a própria sociedade civil têm do termo sustentabilidade, que deve contemplar, de maneira integral, todos os temas relacionados à expressão, que vão muito além das questões sociais e ambientais.

Após a apresentação, o encontro foi aberto às perguntas e ao debate, proporcionando o esclarecimento de dúvidas, a exposição de ideias e opiniões e a troca de experiências entre os movimentos participantes.

Maurício Broinizi, coordenador da Secretaria Executiva do Movimento Nossa São Paulo, falou sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), metas que substituirão e darão continuidade aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, acordadas na Rio+20, que serão assumidas por todos os países-membros da ONU após 2015. O tema deve entrar na agenda da Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis, que pretende acompanhar o processo, comunicar e popularizar as propostas.

A primeira etapa do encontro foi encerrada com um intervalo para o almoço, preparado sob a supervisão da Gastromotiva,  primeira organização do Brasil a inspirar e promover transformação e inclusão social por meio da gastronomia.

Na parte da tarde, a primeira apresentação foi de Miguel Lago, da Rede Nossas Cidades, que mostrou tecnologias inovadoras criadas para promover a participação cidadã no Rio de Janeiro, como o Panela de Pressão, aplicativo de mobilizações que permite contato direto com governantes e outros tomadores de decisão da cidade, o Multitude, plataforma digital que oferece oportunidades de ação voluntária, o Imagine, ferramenta onde o cidadão pode criar ideias para melhorar a cidade, e o Compartilhaço, aplicativo que amplia a visibilidade de uma mobilização ou causa social a partir do compartilhamento sincronizado em perfis no Facebook e Twitter. Miguel enfatizou que a proposta é multiplicar as ações e disponibilizar as tecnologias para outros municípios e que a rede Nossas Cidades está desenvolvendo metodologias para isso.

Os trabalhos seguiram com as apresentações de Luanda Nera, da Rede Nossa São Paulo, sobre a Agenda Brasil Sustentável, de Luciano Santos, do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, e do PISCSU – Projeto de Incidência da Sociedade Civil para a Sustentabilidade Urbana, que tem o objetivo de fortalecer a Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis.

A última parte do primeiro dia do encontro foi dedicada à apresentação de experiências de quatro movimentos: Nossa Betim, que falou sobre a implantação do Fórum Empresarial de Apoio às Cidades Sustentáveis, Nossa Brasília, sobre a Rede DF em Movimento, Nossa Ilhéus, sobre o projeto de monitoramento social do legislativo “De olho na Câmara”, e Observatório Social de Lajeado, que traçou um panorama da atuação dos observatórios sociais no Brasil.

Os trabalhos foram encerrados com a apresentação de Diego Calegari, idealizador do projeto Politize, que tem o objetivo de difundir, de forma original e interativa, a participação cidadã por meio do acesso à informação.

Participaram do encontro representantes de Movimentos dos municípios de Abaetetuba – PA, Belém – PA, Belo Horizonte – MG, Betim – MG, Brasília – DF, Camaçari – BA, Campinas – SP, Campo Grande – MS, Curitiba – PR, Florianópolis – SC, Fortaleza – CE , Ilhabela – SP, Ilhéus – BA, Itapetininga – SP, João Pessoa – PB, Joinville – SC, Lajedo – RS, Mogi das Cruzes – SP, Niterói – RJ, Piracicaba – SP, Poços de Caldas – MG, Recife – PE, Rio de Janeiro – RJ, Salvador – BA, São Carlos – SP, São Luís – MA, São Paulo – SP, Teresina – PI, Uruçuca – BA, Vitória – ES.

Leave a Reply