Notícia

HEMOBA em Ilhéus – Doar medula óssea também é cidadania

Se super-heróis existem, com certeza, um doador de medula óssea é um deles! Chega a Ilhéus o Hemóvel, ônibus da Fundação Hemoba onde é realizado o cadastramento de pessoas interessados em ser doadoras. A ação acontece entre os dias 09 e 13 de abril, de 8h às 17h, na Praça J.J. Seabra, e também no Palácio Paranaguá, no Centro.

Para se cadastrar, é necessário ter entre 18 e 55 anos, estar em boas condições de saúde e apresentar documento oficial com foto. Além disso, será coletado do  candidato a doador 5 ml de sangue retirados do braço.

O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para milhares de portadores de leucemia e outras doenças do sangue. Na campanha passada, foram cadastradas 3681 pessoas. Nesta, a população tem juntado esforços para mobilizar doadores e superar esse número.

O desafio é grande: uma pessoa da nossa cidade pode salvar uma vida e essa probabilidade é de 1 em 100.000. Só no Brasil, existem hoje cerca de 850 pessoas esperando por um doador compatível.

A iniciativa é coordenada pela ONG Enaultinho Rocha e realizada pela Fundação Hemoba, vinculada ao Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Saúde (Sesau). A ação atende à convocação “Doe medula óssea, doe vida”. Em Ilhéus, a campanha leva o nome da pequena Cecília Kruschewsky, de dois meses, nascida com uma doença imunológica rara, cuja família busca uma medula óssea compatível com ela.

Sobre o procedimento de doação 

Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados no Banco Mundial de Doadores de Medula Óssea, que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante. Em caso de compatibilidade, o doador é chamado para exames complementares e para o procedimento de doação, devendo se deslocar até a um banco de doação mais próximo indicado pelo Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME), com direito a acompanhante. Todas as despesas são custeadas pelo Ministério da Saúde.

A medula óssea é retirada do interior dos ossos por meio de punções e, em apenas 15 dias, a medula do doador estará recomposta, sem prejuízo da saúde do doador. Saiba mais: http://redome.inca.gov.br/doador/quem-pode-doar/

 

Leave a Reply